Criada por desenvolvedores em oposição às metodologias tradicionais, ela foi primeiramente criada para o desenvolvimento de softwares, mas a efetividade demonstrada foi tão grande, que seu conceito foi adaptado para o desenvolvimento de qualquer projeto de produto ou serviço. A metodologia ágil está sendo utilizada cada vez mais pelas empresas. Mas se engana quem acredita que a implementação é de fácil execução, pois são várias as dificuldades numa reestruturação organizacional. 

Vantagens da Metodologia Ágil

O método ágil apresenta diversas vantagens em relação às metodologias clássicas. Vejamos algumas:

  • Mudanças fazem parte do processo e não são enfrentadas como problemas. Modificações de rumo são parte do desenvolvimento.
  • Não se faz somente uma entrega ao final do projeto. São realizadas várias entregas ao longo do tempo, permitindo revisões e correções de curso.
  • A comunicação entre equipe e cliente é constante, evitando erros bruscos.
  • Elimina o trabalho desnecessário e que não tem valor para o cliente.
  • Toda equipe participa de todas as fases do projeto.

Uma característica realmente marcante dessa metodologia, é que ela reconhece as pessoas como o principal valor para que um projeto seja finalizado de forma correta.

Para implementar as metodologias ágeis numa organização, podem ser utilizados diversos métodos, como scrum, kanban e lean, por exemplo. Para esse artigo vamos abordar o scrum e sua estruturação.

Explicando o Scrum

Foi nos anos 90 que Jeff Sutherland criou a metodologia scrum, uma forma de implementação dos métodos ágeis que se espalhou rapidamente pelo mundo. Prático, o scrum organiza a equipe e faz com que ela produza mais em menos tempo, de forma menos cansativa e mais eficiente. 

Curioso para saber como se estrutura esse processo? Vamos desdobrar o scrum:

  • Product Owner ou Dono do Produto: conhecido pela equipe como P.O. ele é a pessoas que toma as decisões, quem realmente conhece o negócio do cliente e sua visão sobre o produto. Ele é o representante dos usuários finais dentro da equipe. 
  • Product Backlog ou Backlog do Produto:  o P.O é o encarregado de listar as ideias do cliente e as ordenar por prioridade. Essa lista de tarefas, onde estão descritas as exigências e necessidades do produto final, é chamada de Backlog do Produto. 

O backlog aponta quais são os itens mais importantes e urgentes do projeto, não deixando assim a equipe perder tempo em detalhes totalmente dispensáveis.

  • Scrum Master: é o encarregado de comprovar que o modelo e a metodologia funcionam. Ele deve eliminar todos os inconvenientes e fazer com que o processo tenha fluidez.
  • Equipe de Desenvolvimento: equipe pequena, com autoridade para tomar decisões e organizar sua forma de trabalho para a busca do objetivo. 
  • Sprint Backlog: é a divisão do Product Backlog em partes menores, a serem entregues uma a uma ou em bloco. 
  • Sprint: Levando em conta que a mente humana trabalha melhor em tarefas breves ou simples, o trabalho é dividido em pequenas partes que podem variar de uma semana a um mês de duração. Isso é chamado de sprint. É o período de tempo combinado para a realização da sequências de tarefas descritas no sprint backlog. É recomendável que a Sprint tenha curta duração e seja de fácil mensuração. Uma vantagem de ter sprints é que havendo bugs e instabilidade, o time precisa voltar até o último marco, e não ao início do projeto.
  • Daily Scrum: pequenas reuniões diárias para atualização sobre o andamento do projeto para cada membro da equipe.
  • Retrospectiva: reunião realizada ao final de cada sprint, onde são apresentados os resultados finais, uma versão do produto e são revisados os passos para melhorias no próximo sprint.

De forma simplificada, essa é a estruturação do scrum. Diversos itens compõem a metodologia, mas esses elementos que foram elencados são os primordiais para o sucesso do projeto e manutenção da metodologia. Agora vamos falar sobre um item em especial, o ponto central do scrum, o product backlog.

Um pouco mais sobre o Backlog

Vimos que o backlog do produto é o início de um projeto. Ele que garante a evolução do projeto de forma correta, começando com tudo que óbvio, num primeiro momento, e sendo aprimorado no andamento. Esse crescimento do backlog é natural, afinal quanto mais se aprende sobre o produto e sobre o cliente, mais ideias e modificações de melhoria são apontadas.

Sua principal função é permitir uma auto-organização da equipe de trabalho e deve ser estruturado com detalhamento em cada solicitação pelo P.O. Esse detalhamento é chamado de user storie, uma descrição curta e simples, da perspectiva do usuário, sobre a funcionalidade desejada. Cada storie é uma tarefa dentro do backlog.

Para sua eficácia, o backlog de produto deve conter alguns itens básicos em suas users stories, como:

  • Identificação Única: Um número acompanhado de um nome. O número jamais poderá ser modificado, já o nome deve ser curto e explicativo, para a equipe distinguir das demais stories. 
  • Importância: o P.O. deve definir o grau de importância da storie. Essa graduação pode se dar através de números (10 a 100), tamanhos (P a GG) ou qualquer outra combinada com a equipe.
  • Estimativa de Tempo: a equipe deve definir o tempo de conclusão de cada storie, com base na complexidade e número de pessoas necessárias.
  • Descrição: notas e informações sobre a funcionalidade desejada, o que fazer, como fazer e onde chegar.

Já o sprint backlog é a lista de tarefas que a equipe se compromete a realizar em um sprint, tirada do backlog product,  grande lista de tarefas definidas pelo dono do projeto.

 

Claro, para fazer toda essa gestão de processos, projetos e pessoas, sua organização vai precisar de um software totalmente alinhado com as metodologias ágeis. Entre em contato conosco, conheça um pouco mais sobre o Conectado.

 

 

 

Posts relacionados